Must Have – o que tenho de ter no armário?

Tem de Ter – as listas Must Have infernais

Em todas as revistas e sites de moda encontramos, pelo menos 4 vezes por ano, as famosas listas de: Must Have! Tem de Ter no seu armário!

 

 A primeira coisa que quero que retenhas acerca deste assunto é que: o que tens efectivamente de ter é saúde, alegria e vontade de ser feliz! As peças de roupa que te vão acompanhar nesses dias são acessórios e, como tal, não Tens de Ter nada em específico que as revistas recomendam. O tom de urgência, de falha se não tiver algum dos itens é algo totalmente fabricado.

Em conjunto com as listas de “Tem de Ter” das novas tendências, também incluo como “infernal” as listas de: “Básicos que tem de ter no armário!”.  A meu ver, estas últimas são um pouco mais úteis ao dia-a-dia, mas a menos que a sua lista de básicos tenha sido escrita por ti ou por mim (a trabalhar como tua consultora de imagem) não precisas de lhes prestar muita atenção.

 Uma cliente minha deu-me o perfeito exemplo, do quão confusas estas listas podem ser e da frustração que elas podem criar: Esta minha cliente disse-me que tinha comprado umas calças pretas clássicas pois tinha lido que todas as mulheres precisavam de ter um par. A minha resposta foi e continua a ser: o que é que a revista sabia sobre a tua vida, sobre os teus gostos, estilo de vida, quotidiano e ambições?

O que é que a revista sabia sobre ti para te dizer que a tua vida estava incompleta sem um par de calças clássicas?… E quantas vezes as usaste?…

Nunca, é natural.

    Não digo que não sejam inúteis, pois também não é verdade. Há informação bastante útil nas listas de Must Have, normalmente são uma aposta do que se vai ver mais nas lojas, que estilos vai ver na rua dali a uns tempos e, sobretudo, moda é cultura. É um reflexo muito importante do mundo e capaz de começar revoluções.

Servem também de inspiração (e não como lista de compras!), pois se gostares de algum estilo em especial, tens tempo de procurar nas roupas que já possuis, peças que se assemelhem.

*

    Por outro lado, as listas de itens básicos a ter no armário foram criadas a partir da excelente ideia de que com poucas peças (e de qualidade) conseguimos criar vários conjuntos para diferentes situações. É exactamente segundo essa base, que crio essas listas para as minhas clientes, mas incluo e tenho em conta o que a minha cliente especificamente usa e precisa. Evito que gaste dinheiro em peças que apenas vão frustrar por não só as ter usado uma vez.

 Por exemplo, para uma educadora de infância, uma blusa branca de botões não será uma peça básica que tenha de ter no armário. Já uma que tenha uma mistura de sedas e algodão será certamente mais confortável deixando-a movimentar-se com facilidade e terá certamente muito mais uso.

Um desafio constante é o de perceber se no nosso dia-a-dia, com a nossa vida actual (e não aquela que teremos depois de entrarmos no ginásio e começarmos a sair mais à noite com as amigas), sabermos se uma peça é efectivamente uma que devemos ter (e se calhar investir) ou se é apenas o “calor da novidade” e por ser bonita.

 

Sempre que estiveres nesta situação coloca-te as seguintes perguntas:

1. Serve agora? (Não aperta em lado nenhum, nem está largo, com o fecho torto…)

2. Gosto de me ver com a peça vestida?

3. Posso pagá-la sem pôr em risco as minhas prioridades?

4. Com que sapatos, camisola ou saia/calças que já possuo a posso usar?

5. Consigo criar mais de 3 conjuntos com esta peça?

6. Como é que ela me faz sentir?… (de novo, porque vá-se lá perceber as mulheres decidem pelo sentimento. Por isso é bom que adores a peça!:) )

Se ainda assim tiveres dúvidas, podes sempre ir comigo, a tua consultora de imagem! 😉

E tu? Segues as listas “Must Have” das revistas?

Qual é a tua opinião sobre elas? 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *